Between the bars

Eu queria te dizer que passa. Mas não passa.

Nem o vazio, nem o sentimento de inadequação, nem a sombra da rejeição.

Não ajuda endeusar os ausentes. Esquece-se os gritos, as manipulações, o mal cuidar. A ausência vai dando uma tonalidade completamento nova na memória.

Ele escreveu discos inteiros que conseguem descrever tudo o que senti. “Keep the things you forgot” ele cantava. Mas a que custo?

As vezes a morte é necessária. Eu deixei ele morrer porque parte de mim também queria estar morta. E a forma que eu encontrei foi matando ele, apagando qualquer resquício bom ou ruim da memória.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s